Abertura oficial e histórica do Festival de Cinema de Gramado aconteceu nesta sexta-feira

0
544
48º Festival de Cinema de Gramado 2020 - 18/09/2020 - Palácio dos Festivais - Gramado, RS - Abertura Oficial do evento - Rafael Carniel - presidente da Gramadotur. Foto: Edison Vara / Agência Pressphoto


O palco do Palácio dos Festivais foi o cenário de um momento histórico na manhã desta sexta-feira, 18. Do tablado que já recebeu os mais importantes nomes do cinema brasileiro e ibero-americano e na mesma data em que a televisão brasileira comemora 70 anos, foi dada a largada da primeira edição multiplataforma do evento. Essa é a primeira das 48 edições cuja abertura acontece sem público presencial, mas com uma equipe comprometida em fazer o Festival chegar longe. Conduzido pela apresentadora Marla Martins, o programa de abertura concentrou as principais informações e novidades deste formato, como as formas de exibição, recapitulou os filmes que compõem as mostras competitivas e mostrou a movimentação da cidade, que está com o tapete vermelho estendido para honrar a tradição de quase 50 anos. 

O presidente da Gramadotur Rafael Carniel, autarquia municipal responsável pela realização do evento, enfatizou a alegria imensa de ter o Festival de Cinema de Gramado como o primeiro evento na retomada do turismo na cidade. “Gramado é um destino maduro no cenário do turismo nacional. Nosso carro-chefe dos grande eventos desde 1973. Gramado não conhece a palavra impossível e estamos muito felizes em promover essa edição totalmente reinventada”, comenta Rafael. 

O presidente também destacou a importância para o setor na decisão de manter a realização do Festival de Cinema.  “Temos um profundo respeito pela classe do audiovisual. Foram 667 filmes inscritos, todo um trabalho de curadoria, e sabemos o valor para a cultura e tudo o que o Festival representa no cenário nacional. Nossa primeira tentativa foi alterar a data de agosto para setembro, mas quando percebemos que as coisas não estavam evoluindo no sentido de termos tranquilidade e protocolos de biossegurança necessários para promover o Festival da forma tradicional, a Gramadotur se reuniu e decidiu que iria ocorrer sob qualquer hipótese”, explica. E continua, “Gramado se tornou um polo de turismo no Brasil em função da sua cultura, e o Festival foi a grande mola propulsora. Não tínhamos como não promovê-lo. Este ano, decidimos ir para o Canal Brasil, levando o Festival para a casa das pessoas. E o Festival vem com tudo, com tudo que sempre teve e muito mais”, conclui.

O programa também recebeu a coordenadora do Conexões Gramado Film Market Gisele Hiltl. “O momento é complicado para o cinema e audiovisual. Como (Martin) Scorsese disse ontem no Festival de Toronto, o cinema nunca esteve tão marginalizado e desvalorizado. O ‘mercado’ vai falar de tudo isso que estamos vivendo, vamos pensar em alternativas de rentabilidade dos produtos com a exibição digital porque precisamos olhar para a frente. Teremos os painéis, as reuniões de negócio, o concurso interativo, mas é uma adaptação, sem dúvida”, comenta Gisele, e complementa, “é muito difícil ajudar a reconstruir a Ancine (Agência Nacional de Cinema) e agora vê-la sendo desmantelada”.