A profecia de Einstein

0
979


Quando Einstein percebeu o real poder de destruição da bomba atômica, na segunda guerra mundial, após os bombardeamentos das cidades de Hiroshima e Nagasaki, deve ter ficado perplexo para expressar a seguinte frase: “não sei como será a terceira guerra mundial, mas poderei vos dizer como será quarta, será com paus e pedras”.

Ao observar o momento que estamos vivenciando, permite imaginar que há indícios de que estamos bem no início da terceira guerra mundial. O objetivo não é colocar a população em pânico, mas apontar para as sutilezas da economia mundial, em que a hegemonia do dólar, como moeda mundial de câmbio, pode cair por terra. Isso porque a prática de precificar uma moeda é contábil e não como era no passado distante em havia necessidade de toda moeda emitida, deveria estar lastreada em quantidade do metal ouro.

Na atualidade, onde estão os “nós” da economia? Está no crescimento de países emergentes, não só na economia como na população, por exemplo países como china e Índia, que somada a população de cada país, concentram 36% da população mundial e ao observar que a população dos Estados Unidos da América, esta representa apenas 4,3% da população mundial.

A questão é: como pode um americano ser 8,4 vezes mais rico que chineses ou indianos? Na prática, a manutenção do valor da moeda está atrelada ao tamanho do arsenal bélico dos Estados Unidos da América, mas só a China já possui um poder bélico compatível ou maior, é nesse item que “mora o perigo”.

Esta preocupação já chegou ao Vaticano, onde o Papa Francisco está convocando economistas de todo mundo, com idade inferior a 35 anos, para discutir a nova forma de economia, nos dias 26, 27 e 28 de março de 2020.

O Banco Central Europeu, também está tentando conceituar um novo modelo de economia, que contemple o fator ambiental (economia = eco + nomia ou ambiente + norma), o que faz mais sentido. Exemplo: quanto menor a emissão de CO2 na atmosfera do país, mais valorizada será sua moeda.
Como se isso não fosse suficiente, há que contemplar, que muitos dos chefes de estado se enquadram psicologicamente com transtorno de personalidade narcísica, na linguagem comum, significa psicopatas, visto que, são vorazes por dinheiro e se acham os “reis”.

Torcemos que o bom senso dos governantes prevaleçam, quanto a prevenção do meio ambiente, para assegurar o equilíbrio ecológico, sem a autodestruição.