A arte de fazer arte

0
997


A arte é tida como a primeira área do conhecimento que tenta explicar a vida humana. O que não é difícil de compreender, basta imaginar nossos ancestrais, há mais de cem mil anos. Como eles expressavam sensações, sentimentos, necessidades e desejos sem palavras? Como poderiam se comunicar, se não fosse através de gestos e mímicas? Se não tivessem habilidades de desenhar ou pintar, como poderíamos ter imagens de um passado longínquo?

Inventar, criar, reinventar e recriar são habilidades inerentes ao ser humano. Com essa mudança brusca de rotina no isolamento social, fruto desta pandemia, é o momento de nos reinventar. Para começar: como fazer deste “limão” uma limonada? De início, é necessário “conhecer” este limão, que nesse caso é o “ficar em isolamento”, independentemente se for por home office ou ter que ficar em casa por motivos inesperados.
Ficar em casa, para quem há muito tempo trabalha fora, é sim uma mudança bem impactante. Consciente ou inconscientemente, passamos a funcionar num automatismo que só nos damos conta quando essa “dinâmica” quebra.

Como fazer uma “limonada”, isto é, reinventar novas rotinas? Comece com a arte, imaginando-se uma criança curiosa, que tenta saber o que é e para quais outras coisas serviriam. Observe melhor o local onde você mora, que talvez esteja na hora de transforma-lo num lugar gostoso de ficar, num lugar de paz e não de intrigas, de abraços e não de isolamento. Tenha um novo olhar da situação que está vivendo, para da tua casa um local de festa, com músicas e danças. Isso também é arte! Afinal se não fosse a arte, talvez entraríamos numa loucura.

As outras áreas do conhecimento (filosofia, religião e ciências), que buscam explicar a vida, não estão dando conta de apontar uma saída para essa mudança impactante, que tanto nos afeta. A filosofia deixou de ser a filosofia original para ser uma espécie de “ciências filosóficas”. A religião foi a mais afetada, dada a dificuldade de reunir pessoas. Logo, a única que terá condição de propiciar uma solução é a ciência, porém ela depende de experimentos laboratoriais. Em meio a tantos impedimentos, a arte está aí, para experimentarmos e reinventarmos mais uma vez.

Saiba que isolamento de verdade é o que os doentes graves estão passando. Falta de liberdade é o que pacientes internados em hospitais psiquiátricos e outros isolados compulsórios vivem. Não podemos esperar por mais uma perda, mais uma quebra de rotina para dar valor ao que temos.

Agradeça por estar com saúde, em tua casa e permitir que o lado artístico aflore em cada ser humano.