Prefeitura receberá comunidade e lideranças para a apresentar o projeto “Gramado, cidade para todas as idades”

0
43


O projeto “Gramado – cidade para todas as idades” nasce do interesse do município da Serra Gaúcha em tornar-se uma cidade amiga de todas as idades, dessa forma promovendo a integração geracional em ambientes mais seguros, com participação social e comunitária, além de serviços que atendam a população de forma geral.

“Quando completei 30 anos, achava que já estava na metade da vida. Hoje já passei dos 70 e sigo trabalhando, cuidando da casa e ainda cuido da família!”. O relato da moradora de Gramado não é assim tão incomum, e conforme o tempo passa, nos deparamos com idosos mais ativos, longevos e mais conscientes de seus direitos.

A expectativa de vida na Serra Gaúcha (79,41 anos) já supera a média do estado (77,45 anos), foi o que mostrou um estudo do Departamento de Economia e Estatística da Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão do Rio Grande do Sul em 2022. Ainda na mesma semana, o IBGE anunciou que pela primeira vez o Brasil registrou mais de 55% da população acima dos 30 anos, evidenciando uma revolução em curso.

Em 2005 a Organização Mundial da Saúde (OMS) antevia essa mudança na dinâmica da sociedade Brasileira, forçando uma releitura do papel do idoso em sua comunidade, trabalho e família, e no 18º Congresso Mundial de Gerontologia, no Rio de Janeiro, foi apresentado o conceito do projeto baseado no “Guia Global: Cidade Amiga do Idoso”, mais tarde renomeado para Cidade Amiga de Todas as Idades.

A cidade de Gramado entra nessa segunda-feira em fase final do projeto destinado a montar um Plano de Ação em direção a um município mais amigável ao idoso. Na manhã do dia 08 de agosto, a Prefeitura de Gramado e o Conselho Municipal do Idoso vão receber autoridades e comunidade no Plenário da Câmara de Vereadores para apresentar os resultados da pesquisa realizada pela Universidade de Caxias do Sul (UCS) com idosos residentes em Gramado com base em temáticas que vão de saúde a transporte.

No Rio Grande do Sul, cálculos baseados no censo de 2010 mostram que 13,6% da população tem mais de 60 anos, o que torna o Estado o mais envelhecido do Brasil. Nos próximos 40 anos, estima-se que a população idosa no país triplicará, e que em 2060 corresponderá a um terço da população total. Atenta às mudanças que têm ocorrido no país frente às políticas públicas que dizem respeito à população idosa, e com mais de 30 anos de experiência em pesquisas acadêmicas com foco no envelhecimento, a UCS atuou como parceiro acadêmico do projeto para realizar o diagnóstico do município de Gramado, interessado em participar da Rede Global de cidades amiga de todas as idades.

O envelhecimento ativo podia parecer um grande desafio décadas atrás, mas enquanto diretor do Departamento de Envelhecimento e Curso de Vida da OMS, Dr Alexandre Kalache sabia que essa realidade em breve bateria à porta do brasileiro, e que por isso muita coisa deveria mudar para adaptar o ambiente em que esse idoso estaria inserido no futuro, otimizando oportunidades e reduzindo disparidades sociais, sanitárias e de gênero.

Os protocolos criados por Kalache e sua equipe para a transformação de municípios levam em conta oito aspectos da vida urbana que se sobrepõe em características, mas que também congregam desafios, são eles: transporte, moradia, participação social, respeito e inclusão, participação cívica e emprego, comunicação e informação, apoio comunitário e serviços em saúde, espaços abertos e prédios.

Cada um dos tópicos acima desempenha um papel fundamental para entender a realidade do idoso sob sua própria perspectiva, garantindo que nenhuma política pública ou mudança estrutural seja feita sem sua participação ativa. O relatório a ser apresentado na manhã do dia 08 de agosto traz o resultado do diagnóstico do município que tinha como objetivo fornecer elementos para examinar as condições econômicas, políticas e sociais do gramadense, construindo um arcabouço teórico para a construção do Plano de Ação necessário para que a cidade possa integral o coletivo de mais de 1 mil cidades já certificadas pela OMS ao redor do mundo.Além da UCS, participam ativamente do projeto membros da sociedade civil, das secretarias municipais, a Prefeitura de Gramado, o Conselho Municipal do Idoso, consultores do Instituto Moriguchi e o Centro Internacional da Longevidade Brasil, hoje presidido por Dr. Alexandre Kalache.

O projeto recebe aporte do Grupo CPFL Energia, concessionária responsável pelo serviço de distribuição de energia elétrica em vários municípios do Rio Grande do Sul.

Evento aberto ao público e sujeito a lotação

Data: 08 de agosto de 2022

Horário: 9h30 às 11h00

Local: Plenário na Câmara de Vereadores – Rua São Pedro 369, Centro.