Festival de Cinema de Gramado anuncia homenageados com o Troféu Reverência Horst Volk

0
50


Em comemoração aos cinquenta anos, o Festival de Gramado decide homenagear importantes figuras da cidade que auxiliaram na construção e na manutenção do evento nas últimas cinco décadas. A primeira delas é Horst Volk, um dos principais incentivadores e criadores do evento. É a partir da lembrança de seu nome que o 50º Festival de Cinema de Gramado mantém viva a memória ao homenagear os Presidentes do Festival de Cinema de Gramado Enoir Zorzanello, Esdras Rubim e Alemir Coletto e os Prefeitos João Alfredo de Castilhos Bertolucci, Nestor Tissot, Pedro Henrique Bertolucci, Waldemar Frederico Weber (in memoriam) e Nelson Dinnebier (in memoriam) com o Troféu Reverência Horst Volk.

“Esses troféus são uma releitura da história. Vamos homenagear gramadenses que dedicaram anos de trabalho para que nós pudéssemos estar aqui hoje, preparando essa edição histórica”, afirma Diego Scariot, diretor de eventos da Gramadotur, autarquia municipal responsável pelos eventos da cidade. 

Os homenageados receberão um Kikito de madeira, esculpido pelo artista gramadense Xixo que, ao lado de Elisabeth Rosenfeld, cunharam os troféus entregues nas primeiras edições do evento. A entrega será durante a cerimônia de abertura, no dia 12 de agosto. 

Conheça os vencedores dos prêmios Leonardo Machado e Gramado 50 anos

Visando reconhecer o trabalho de atores, atrizes e técnicos do audiovisual gaúcho, tendo como critério o histórico de realizações e contribuições ao desenvolvimento do audiovisual do estado, a organização do Festival de Gramado, em parceria com a Secretaria de Estado da Cultura, Sedac, e do Instituto Estadual de Cinema, Iecine, divulgam os vencedores dos prêmios Leonardo Machado e Gramado 50 Anos.

Em sua segunda edição, a atriz Ítala Nandi será agraciada com o prêmio Leonardo Machado. Completando 80 anos e mais de seis décadas de carreira, Ítala é um marco das artes produzidas no Rio Grande do Sul. No cinema, integrou o elenco de obras a partir dos anos 1960, como “O Bandido da Luz Vermelha” (Rogério Sganzerla, 1968), “Os Deuses e os mortos’’ (Ruy Guerra, 1970), “Barra pesada” (Reginaldo Faria, 1977) e “O Cortiço” (Francisco Ramalho Júnior, 1978). Seus feitos não se restringem à frente das câmeras; Ítala foi a primeira mulher gaúcha a dirigir um longa-metragem, em 1981 quando lança “In Vino Veritas”. Os prêmios Gramado 50 Anos serão entregues ao cineasta Ivo Czamanski, à produtora Gina O’Donnell e ao jornalista e crítico de cinema Hélio Nascimento. 

Os vencedores foram escolhidos pela comissão composta por Aletéia Selonk, produtora, Daniela Strack, realizadora e pesquisadora, e Danilo Fantinel, jornalista, pesquisador e presidente da ACCIRS. 

As homenagens serão entregues no Palácio dos Festivais, durante a programação do 50° Festival de Cinema de Gramado.